Caderno de Sábado

01/12/2020 - 17:00

Um prêmio para o Menino da Terra do Sol

Filme já foi premiado em diversos festivais, inclusive em Hollywood.

Filme que conta a história do escritor Flávio Luis Ferrarini é premiado no Cine Serra

O Menino da Terra do Sol” foi novamente premiado. O curta-metragem, que retrata a trajetória do escritor florense Flávio Luis Ferrarini, saiu vencedor de duas categorias na 7ª edição do Cine Serra, que reúne as melhores produções audiovisuais do Rio Grande do Sul. Uma história escrita em dourado, tamanha é a galeria de troféus do filme gravado em Flores da Cunha e Nova Pádua.
A produção inclusive já conquistou Hollywood:  no ano passado, “O Menino da Terra do Sol” foi escolhido o melhor curta-metragem do festival Los Angeles Brazilian Festival. Em 2019, o curta produzido pela Alba Arte, de Bento Gonçalves, também ganhou reconhecimento em festivais de cinema como os de Gramado, de Murié e Santo Ângelo, onde levou quatro Cisnes de Ouro, incluindo o de melhor filme.
No Cine Serra, “O Menino da Terra do Sol” saiu vencedor das categorias Melhor Direção de Arte (para Sheila Marafon) e Melhor Desenho de Som (para Michel Marchetti). A cerimônia de premiação ocorreu no último sábado, dia 21, no Teatro Pedro Parenti, em Caxias do Sul.
O curta é baseado no livro homônimo escrito por Ferrarini, retratado nos anos 1960 e que conta a história de Nini, um menino tímido do interior que vive intensamente a solidão da infância e o sonho de ser escritor.
“Eu achei o livro fantástico, devorei em dois dias. Eu me lembro que no final do livro, o Flávio falou assim: não sei se esse livro pode virar um filme ou uma boa polenta, mas sei que estou enraizado na história. Nesse momento, eu tive que discordar do Flávio.  Essa história, sim, tinha de virar um filme”, diz Marchetti, que também é diretor do curta.
A presidente do Instituto Flávio Luis Ferrarini, Madeleine Ferrarini, irmã do escritor, afirma que mais importante do que os prêmios, é o filme ser visto. “Ele trata do sonho de ser artista, tem essa leveza poética. É muito mágico”, comenta Madeleine. Assim, o menino da Terra do Sol voa, em seu tapete voador, do mundo do Paredes para os confins do universo.

Por Pedro Henrique dos Santos - Pedrohenrique@jornaloflroense.com.br

Compartilhe esta notícia:
Filme já foi premiado em diversos festivais, inclusive em Hollywood. - Divulgação

Outras Notícias:

Nenhum Comentário

Deixe o Seu Comentário

Copyrights © 2021 Todos os direitos reservados por Jornal O Florense.