Contratações de Natal são tímidas em Flores da Cunha

Por Danúbia Otobelli – Danubia@jornaloflorense.com.br | 07 de Dezembro de 2017 às 11:46

Expectativa de que lojas reforcem mão de obra ainda é cautelosa no município. No RS, projeção é de abertura de 5,2 mil vagas temporárias

Principal data para o comércio, o Natal também costuma ser uma boa alternativa para quem busca um emprego, mesmo que temporário. Como o varejo costuma vender mais nesse período, os lojistas reforçam o quadro de trabalhadores. Nos últimos anos, o movimento acabou refreado devido à recessão econômica, mas a expectativa é que as vendas melhores levem também a um maior número de contratações – embora os dados coletados pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Flores da Cunha revelem uma contratação tímida no município. Das lojas e empreendimentos consultados pela entidade, poucas afirmaram que irão contratar pessoal para as vendas de final de ano.

Uma das que está com vaga aberta é a Francelandia Modas. Os proprietários Eliziane Cavazzola Pretto e Roni Pretto contrataram uma pessoa para atendimento aos sábados e agora buscam uma nova colaboradora para ajudar nas vendas de final de ano. A vaga é temporária, mas pode se tornar efetiva dependendo dos resultados. “Não é necessário ter experiência, basta vontade e gostar de trabalhar com vendas”, diz Eliziane.

Para este Natal, a Francelandia, que trabalha com vestuário infantil, feminino e masculino, além de marcas especiais, projeta um crescimento de 30% a 40% nas vendas em comparação com o ano passado. “A expectativa é muito boa, porque estamos crescendo numa base de 50%. O mês de novembro começou muito bem, atingimos todas as nossas cotas”, pontua a proprietária, afirmando que o diferencial é sempre estar com novidades nos itens oferecidos. A loja possui 33 anos, mas há 8 anos está sob a direção dos proprietários atuais e tem investido sempre em novos produtos. “Desde que estamos no comando, mudamos 90% do que era oferecido antes. Acredito que ao fazer o trabalho com amor e dedicação é possível ver os resultados.”

Estatísticas

Nos últimos dois anos, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Previdência Social, o município arcou com saldos negativos de admissões nos meses de novembro e dezembro no setor de comércio. Foram –5 vagas em 2015 e –31 em 2016. Para este ano, os últimos números divulgados, referentes ao mês de outubro, mostram 64 admissões e 58 desligamentos, um saldo positivo de 39 vagas no comércio.

Numa pesquisa própria, a Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado (Fecomércio-RS) apontou que a contratação deve ser muito semelhante a realizada em 2016 – 61,9% dos lojistas afirmaram que abrirão o mesmo número de vagas do ano passado, enquanto que 17,5% dizem que aumentarão a oferta e outros 20,5% pretendem reduzir as admissões. “Ainda temos um índice de ociosidade nas lojas em torno de 5%, o que faz com que as contratações sejam menores e, embora o comércio tenha sido o último a sentir a crise, que impacta primeiro na indústria, ele também é o último a sair dela”, aponta o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

Na contramão da cautela florense, a Associação Gaúcha para o Desenvolvimento do Varejo (AGV) projeta a abertura de 5,2 mil vagas temporárias em todo o Estado, um aumento de 5,2% em relação a 2016. Em âmbito nacional, a Confederação Nacional do Comércio (CNC) divulgou que estima a abertura de 73,8 mil vagas.

Projeção é de crescimento nas vendas

Um otimismo paira entre os varejistas de que as vendas deste Natal sejam melhores dos que os últimos dois anos. Fatores como juros mais baixos, que barateiam as prestações de crediário e cartão, e a queda na inflação, são utilizados para a boa perspectiva. Segundo pesquisa da Fecomércio-RS, as vendas de 2017 deverão crescer 7% em relação ao Natal passado. “O gasto médio, por pessoa, no Natal 2017 deverá ser de R$ 505,80, sendo que os homens terão um gasto maior do que as mulheres. Mas na percepção dos consumidores, os gastos de Natal devem ser inferiores aos do ano passado”, comenta o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Flores da Cunha, Márcio Rech.

E para entusiasmar comerciantes e lojistas, a CDL realiza a terceira edição do ‘Natal Feliz’, promoção que sorteará aos consumidores que comprarem nas lojas locais um carro zero quilômetro (Fiat Mobi), um televisor 32 polegadas, um notebook, um smartphone e um tablet. A campanha vai até o dia 31 de dezembro e conta com a participação de 90 estabelecimentos. O sorteio será em 6 de janeiro de 2018.

Pesquisa

O 13° salário deve ser a principal fonte para as compras. De acordo com a pesquisa do Fecomércio/RS, para 41,9% dos entrevistados a remuneração será utilizada nos presentes natalinos. Em seguida, estão previstos o pagamento de contas do mês (41,5%) e a formação de poupança (41,5%). Os presentes mais frequentes serão vestuário (75,3%), brinquedos (45,7%) e calçados (18,7%). Entre os locais de compra, os mais citados são as lojas dos centros das cidades (73,5%). Quanto às formas de pagamento, 73% pretendem realizar compras à vista. Entre os que pretendem parcelar, 45,2% querem pagar entre 4 a 6 parcelas.

O número médio de presentes adquiridos por consumidor em 2017 será de 4,3 unidades, enquanto as mulheres comprarão, em média, 4,7 unidades e os homens 3,7 unidades. Assim, o gasto médio, por pessoa, no Natal 2017, deverá ser de R$ 505,80 com um gasto médio de R$ 534,65 dos homens, enquanto as mulheres devem investir R$ 486,11. O presente unitário vai custar, em média, R$ 117,39. A pesquisa foi realizada pela Fecomércio/RS de 30 de outubro a 6 de novembro de 2017 com a realização de 385 entrevistas, nas principais cidades do Estado.

Tweetar

Imagens:

0 comentários



Ainda não há comentários. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário