Geral

21/06/2015 - 10:50

Primeiro jogo da decisão da Libertadores será neste domingo

Volante Lauro (camisa 5) e zagueiro Maurício (à direita) agregam experiência ao grupo do Ferroviário.

Confronto entre Barracão x Ferroviário acontece em Bento Gonçalves após ser adiado devido ao mau tempo da semana passada

A chuva que caiu durante todo o fim de semana passado impediu a realização do jogo de ida da final da 16ª Copa Libertadores do Nordeste Gaúcho, entre Barracão, de Bento Gonçalves, e Ferroviário, de Nova Pádua. O confronto entre o atual tricampeão e o ‘caçula’ na competição foi transferido para as 15h30min deste domingo, dia 21, em Bento.

Esta é a quinta participação do time paduense numa final, enquanto que o Barracão participa pela primeira vez no torneio e chega à decisão depois de eliminar o Linha Brasil com duas vitórias na semifinal. O Ferroviário busca o tetra após a vitória dramática de virada sobre o Paranaguá na semifinal (4 x 2), depois de ter perdido por 1 x 0 em Nova Roma do Sul e estar perdendo em casa por 2 x 0.

Apesar de novato no torneio, muitos atletas do time comandado por Fernando Agostini são conhecidos do técnico do Ferroviário, Éder Vanzin, como o meio-campista Murilo e o atacante Giba, artilheiro do torneio com 7 gols. Além desses, há os ex-profissionais Patrício (ex-Grêmio e Corinthians), Felipe (ex-Caxias e Goiás) e Sandro Sotilli (ex-Juventude, Inter, Caxias, Ceará e Pelotas, entre outros times).

Do lado da equipe de Nova Pádua, os destaques ficam por conta dos experientes Lauro (ex-Ju, Grêmio, Palmeiras), Tiago Renz (ex-Ju e Brasil-Fa), Gavião (ex-Caxias), vice-artilheiro da competição com 6 gols, e o zagueiro goleador Maurício Fernandes, destaque do jogo de volta, quando marcou dois gols.

Maurício é natural de Passo Fundo e fixou residência em Farroupilha, onde hoje atua como gerente de futebol do Brasil, equipe que disputa a Divisão de Acesso. É no Ferroviário que o zagueiro está atuando pela primeira vez depois de parar como profissional. “O respeito que existe pelos atletas aqui no Ferroviário é muito grande. A vitória sobre o Paranaguá foi muito importante porque tínhamos ambição de ganhar”, diz Maurício, 38 anos, que passou por clubes de Portugal (Feirense, Estrela Amadora e Sporting Braga), da Grécia e China.

Foi no Brasil que ele conquistou seus principais títulos – campeão baiano com o Bahia em 2001 e campeão carioca em 2002 com o Fluminense. Ele também defendeu as cores do Juventude e do Vila Nova-GO, entre outras equipes. É com a experiência de Maurício, entre outros jogadores, que o Ferroviário tenta conquistar a partir deste domingo o quarto título consecutivo da Libertadores.


Por Antonio Coloda – coloda@editoranovociclo.com.br

Compartilhe esta notícia:
Volante Lauro (camisa 5) e zagueiro Maurício (à direita) agregam experiência ao grupo do Ferroviário. - Fabiano Provin

Outras Notícias:

Nenhum Comentário

Deixe o Seu Comentário

Copyrights © 2021 Todos os direitos reservados por Jornal O Florense.