Geral

22/09/2021 - 18:00

De retalhos a obras de arte

Pedro Soldatelli dá vida às madeiras que não seriam mais utilizadas.

Conheça o talentoso trabalho do artesão florense Pedro Soldatelli, que há oito anos dedica-se a dar vida à madeira

As mãos habilidosas do artesão – ou arteiro, como ele prefere ser chamado – Pedro Soldatelli, de 58 anos, transformam retalhos de madeira em vilarejos, paisagens, casas, praias, chaveiros, bebedouros, corações, borboletas, pássaros, pinguins, palavras, santos, presépios, flores, janelas, molduras e uma infinidade de outras coisas mais, em verdadeiras obras de arte. 
“Eu sempre gostei de mexer com madeira, na realidade desde a época da escola, quando estudava no ginásio, isso em 1976, a gente tinha aulas de Técnicas Comerciais e Industriais com o professor Gilnei Nardi e lá havia uma oficina com torno, serra, e nós trabalhávamos nela”, conta Soldatelli que, frequentemente, aproveitava o tempo livre no fim de semana para se dedicar ao trabalho com a madeira. 
Nos últimos anos, com a aposentadoria, o florense pôde se empenhar mais no que sempre gostou e criar a sua marca própria, Trecos com Arte.  “Há oito anos uma amiga viu o que eu estava fazendo e me convidou para participar de uma feira beneficente para a Associação de Amparo à Criança e ao Adolescente com Câncer da Serra Gaúcha, o Domus, em Caxias do Sul, entidade que eu ajudo até hoje, todos os anos. A partir disso, comecei a fazer feiras com outras pessoas e em diferentes locais”, lembra.  Com mostras e exposições ele já percorreu diversos municípios, como Canela, Torres, Capão da Canoa e Florianópolis.
Em seu trabalho o artista procura ocupar madeiras já utilizadas, sempre com foco em reaproveitá-las no estado original, sem pintar, com exceção dos santos que são articulados e alguns detalhes. Cerca de 90% dos retalhos de artigos maiores podem ser empregados em pequenas peças que irão compor uma nova criação.
Os troféus que desenvolveu para o Grazie, por exemplo, foram confeccionados a partir da madeira de uma pipa antiga que foi transformada em um balcão e iria ser jogado fora. “A primeira coisa que lembrei quando fui fazer o Troféu Grazie foi dos antigos, porque eles tinham a mania de tirar o chapéu quando iam cumprimentar, aí eu bolei nesse sentido de tirar o chapéu para agradecer. É um cumprimento que hoje quase não se vê e eu adaptei com base nos bonecos que eu já faço, sites que eu via, e troféus como os que fiz para o concurso Como Vejo meu Município”, explica. 
A madeira utilizada por Soldatelli sempre recebe tratamento antes de ser trabalhada como peça decorativa, elas são cortadas e lixadas. Nas que carregam traços de cupim, ocorre a aplicação de Jimo, tudo para que tenha uma longa durabilidade. 
Galhos e troncos de árvore caídos ao chão, tabuleiros antigos, gavetas, portas, torneiras e cabides, também são matéria-prima para a criatividade do artesão. “O que eu gosto de fazer é assim: eu estou ali na oficina aí eu vejo um material, uma madeira, e eu vou fazer. Geralmente eu monto na minha cabeça, porque a minha diversão, o meu passatempo é isso aqui, é uma coisa que faço com prazer”, destaca. 
Pedro, que já conta com peças comercializadas para os quatro cantos do país, tem a ajuda da esposa, Flávia Sandi Soldatelli, na parte da colocação dos aramados, fitas, entre outros detalhes. As peças, hoje codificadas, podem ser adquiridas pelo Facebook @pedroeflavia63 e Instagram @trecoscom.
Com mudança prevista para a localidade de Nova Roma, atualmente a Trecos com Arte está na Rua John Kennedy, 2241, fundos, junto ao bairro Centro, em Flores da Cunha.

Por

Compartilhe esta notícia:
Pedro Soldatelli dá vida às madeiras que não seriam mais utilizadas. - Karine Bergozza

Outras Notícias:

Nenhum Comentário

Deixe o Seu Comentário

Copyrights © 2021 Todos os direitos reservados por Jornal O Florense.