Esporte

15/05/2021 - 18:00

Sorte no amor, azar no jogo. Será?

Casados há uma semana, Adriano Arcaro e Claudete Lusa Arcaro assistirão aos grenais juntos: ela torcendo para o Grêmio, ele para o colorado

O título do Campeonato Gaúcho 2021 será decidido em dois grenais. O grenal 431 será neste domingo, dia 16, a partir das 16h, no Estádio Beira-Rio. O jogo da volta será na Arena do Grêmio, no dia 23. Na semifinal, o Internacional derrotou o Juventude por 4x1 depois de perder o jogo de ida por 1x0 e garantir a vaga na decisão no saldo de gols. Depois de vencer a primeira partida por 2x1, o Grêmio voltou a vencer o Caxias, desta vez pelo placar de 2x0 e, agora, busca o tetracampeonato consecutivo.  
O amor começa por coisas em comum entre um casal. A atração física unida ao compartilhamento de interesses, a conversa e o respeito estimulam o prazer de estar ao lado da pessoa em todos os momentos. Mas, o cupido prega peças curiosas e, muitas vezes, une aqueles que estão em lados opostos no quesito futebol. Em muitas ocasiões essa rivalidade pode até ser o tempero que aproxima duas pessoas dando início a um grande amor. Foi o que aconteceu com o Adriano Arcaro e Claudete Lusa Arcaro, que estão juntos há 10 anos e casaram no último dia 8 de maio. Este será o primeiro grenal depois da união. Quem será que leva a melhor nessa rivalidade?
O motorista, 25 anos, era gremista e “virou a casaca” depois da separação dos pais e por influência do padrasto, João Pedro Bittencourt, que é colorado. “Fui pegando gosto pelo Inter que naquele período conquistou o título da Copa Libertadores da América e do Mundial de Clubes. Hoje, a minha paixão é o Inter e não tem o que me faça mudar”, afirma Adriano.
Quando conheceu a esposa, sabia que ela era gremista, mas ele garante que a opção clubística não interferiu em nada no relacionamento. No início do namoro, por conta dos títulos do colorado, Claudete sofria mais com as provocações, mas nada que gerasse desconforto na relação. Para ele, os dois não são fanáticos ao extremo. “Assistimos aos jogos quando estamos em casa, mas nunca deixamos nossos compromissos de lado para acompanhar o Inter ou o Grêmio”, observa ele. 
Para Adriano, o jogo mais marcante na história de 112 anos do Internacional foi a final do Mundial de Clubes da FIFA de 2006, quando o colorado derrotou o tão temido Barcelona por 1x0 e conquistou o título. “Eu tinha 10 anos e com toda a certeza essa conquista ficará marcada para sempre na minha memória”, ressalta.
Adriano espera que o Inter seja campeão gaúcho até pela necessidade de voltar a conquistar títulos. “Ser campeão sobre o maior rival tem um sabor todo especial. Tivemos uma sequência de resultados negativos em clássicos e agora teremos mais dois decidindo o Gauchão. Espero que sejam dois grenais bem jogados e sem confusão. Que os times façam jogos bons de assistir”, frisa Arcaro.    
Pelos números, jogadores e resultados com placares expressivos, principalmente atuando dentro do Beira Rio, o Internacional chega mais confiante para a decisão, embora os colorados tenham desconfiança no trabalho do técnico Miguel Ángel Ramírez. “Não gostei da contratação. O Abel Braga deveria ter seguido como treinador da equipe depois da ótima campanha no Campeonato Brasileiro 2020/2021. O futebol é repetição de esquema e de equipe titular, o que não acontece com o espanhol que comanda o Inter. Esse técnico não vai vingar no Internacional. Caso perca o título gaúcho, Miguel Ángel Ramírez deve ser demitido”, conclui Adriano.
Para a professora Claudete Lusa Arcaro, 24 anos, a paixão pelo Grêmio começou cedo. “Lembro dos meus tios, um gremista e outro colorado, que me deixavam em dúvida para qual time torcer. Assisti um jogo de cada time, que, por coincidência, o Grêmio venceu e o Inter foi derrotado. No final de semana seguinte ganhei uma toalha do imortal tricolor de presente. Depois desse dia, minha paixão pelo Grêmio só aumentou. Comecei a acompanhar o time e me tornei a torcedora que sou hoje, fanática e apaixonada”, recorda Claudete.
Graduada em matemática, Claudete descobriu que o marido era colorado no primeiro grenal que assistiram juntos. “Confesso que naquele momento foi uma decepção, mas, com o passar do tempo, isso não se tornou um problema para nós. No decorrer do jogo, surge aquela vontade de zombar do Inter, mas sempre espero o jogo terminar. É uma brincadeira sadia para descontrair”, explica ela. 
Para Claudete, o Grêmio levará a melhor e ficará com o título. “Fico com um pouco de medo porque o técnico Tiago Nunes está começando um trabalho à frente da equipe depois da saída do ídolo Renato Portaluppi. O novo técnico vem de uma série invicta e nos enche de esperança para conquistarmos o Gauchão”, acredita a professora.
De acordo com a paduense, o Grêmio está melhor e vem crescendo de produção a cada jogo. “Temos o Ferreirinha que pode desequilibrar o clássico. O Grêmio precisa aproveitar a instabilidade da zaga do Inter que ainda não encaixou com o novo esquema do técnico. O tricolor vem melhorando na parte física e principalmente na questão tática. Temos tudo para fazer dois bons jogos”, argumentou ela.
Claudete confirma que, em caso de título, vai ter corneta. “Vamos assistir os jogos juntos, mas cada um torcendo para o seu time. A rivalidade existe, mas depois do jogo tudo volta ao normal, até porque o futebol é entretenimento e descontração, principalmente neste período de pandemia que estamos passando”, conclui Claudete. 

Por Maicon Pan - pan.maicon@hotmail.com

Compartilhe esta notícia:
 - Divulgação

Outras Notícias:

Nenhum Comentário

Deixe o Seu Comentário

Copyrights © 2021 Todos os direitos reservados por Jornal O Florense.