Toni Sbrontolon

Toni Sbrontolon

Ciàcole

Graduado em Filosofia pela Faculdade de Ijuí, e com Pós-graduação em Letras pela Universidade de Caxias do Sul, Ivo Gasparin é professor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira.

Com o pseudônimo de Tóni Sbrontolon, é colunista dos jornais O Florense e Expresso do Oeste de Santa Catarina, com a coluna humorística intitulada Ciàcole.

Foi professor do Curso Supletivo Mutirão, por quase dez anos, onde organizou e promoveu a Noite da Arte e da Poesia. No ano de 2008 destacou-se com o lançamento do romance Segredo de Pedra, que é uma história que se passa entre os anos de 1945 a 1970, no interior do município de Flores da Cunha.

Dentro da música, destacou-se como fundador e componente do Grupo Ricordi, que possui sete trabalhos gravados, onde se encontram mais de trinta músicas de sua autoria como a Scala Rolante, o Cevete do Bepino, Se o Sinelo non Resbala, Vino e Bombace, Da Tera do Ciò para a Terra do Tchê, Lê Comare, As Gurrias do Bailon, Zanisse e muitas outras.

Ivo Gasparin escreve para O Florense desde março de 2006.

Contatos

La nona ntel sinema

Na volta, quà in Flores da Cunha ghe zera el sinema. 

Na volta, quà in Flores da Cunha ghe zera el sinema. 
Al sabo de note, ndava al sinema la gente granda; e a la oménega, dopo mezo giorno, ndava a gurisada e i tosatei. Che’l tempo là i ghe ciamea de ‘matinè’.
Alora, na doménega dopo mezo giorno, a nona la ga inconvidà i so trè nipooti pa andar veder un filme del Tarzan e la ghe gavea promesso che la ghe paghea la entrada. Quando che a ze rivada co’sti trè gorisoti, e che la ga volesto pagar, quel de la biglieteria el ghe ga parlà:
– Nona, no ocore mia pagar la entrada intiera par tuti trè. Quel più grando, chel ga le braghe fin metà gamba, el paga sol un fiorin. Che altro, un poco più picoleto, che’l ga le braghe fin i denoci, el paga sol quignento réi. E quel più picoleto, che’l ga le braghete curte, el paga sol duzento réi.
Alora, la nona, quando che la ga visto cossita, che i paghea de acordo co Le braghe che i gavea su, la ga saltà fora e la ga parlà:
– Si bon, ma’lora, se la ze cossita, mi vao rento par gnente!
La gavea razon anca la nona, parchè che’l tempo là, le fémene le doperea Le còtole longhe e le endea via sensa braghete e tuto resta tanto più fácile.