Toni Sbrontolon

Toni Sbrontolon

Ciàcole

Graduado em Filosofia pela Faculdade de Ijuí, e com Pós-graduação em Letras pela Universidade de Caxias do Sul, Ivo Gasparin é professor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira.

Com o pseudônimo de Tóni Sbrontolon, é colunista dos jornais O Florense e Expresso do Oeste de Santa Catarina, com a coluna humorística intitulada Ciàcole.

Foi professor do Curso Supletivo Mutirão, por quase dez anos, onde organizou e promoveu a Noite da Arte e da Poesia. No ano de 2008 destacou-se com o lançamento do romance Segredo de Pedra, que é uma história que se passa entre os anos de 1945 a 1970, no interior do município de Flores da Cunha.

Dentro da música, destacou-se como fundador e componente do Grupo Ricordi, que possui sete trabalhos gravados, onde se encontram mais de trinta músicas de sua autoria como a Scala Rolante, o Cevete do Bepino, Se o Sinelo non Resbala, Vino e Bombace, Da Tera do Ciò para a Terra do Tchê, Lê Comare, As Gurrias do Bailon, Zanisse e muitas outras.

Ivo Gasparin escreve para O Florense desde março de 2006.

Contatos

El Lidificador

Fà maisomeno na ora e mesa che a zen data via e la se gà portà drio el LIDIFICADOR...

Cossa  gheto, compare, che te gò mai visto tristo cossita?
– Ah, parchè son meso preocupà co la me dona... I me amici i vien impienirme e rece parchè i dize che la ze ndrio méterme su i corni intanto che vao laorar ntela fábrica.
– Ma te si un balota, é... Mi te gò belche spiegà cossa che te ghè de far. Fà come mi,mò. Tute le volte che min son là ntela fábrica, ghe ligo zo casa   e ghe dimando:  – Negra, sito casa?  – Sim, amoooor!  La me responde. Ma mi, par esser securo ghe digo: – Alora daghe na ligada al lidificador. Ela la liga el lidificador:grrrr...grrrr....grrrr... E cossita resto pacífico che gnanca un lagardo stirà ntel sol.
    Ma, un bel giorno el compare, quel del liquidificador el gà pensà intrà  de lu: ciò, ma mi gò na fèmena  de oro la casa e ghe  dao mia el valor che la mérita. Incoi, che femo vinti ani de maridai,  vui farghe na surpresa.
 L’è ndà parlar co’l paron dea fábrica, el ghe gà spiegà tuto polito,  e el ghe gà dimandà se’l podea mia ndar casa due ore prima de fenir el laoro che’l volea faghe na bela surpresa a la so dona.
–  Si, si, el ghe gà dito el paron, te pol ndar si, che incoi ghe ze poco laoro.
    Ciò, el se gà partio a passi verti, l’è ndà ntea loza comprarghe na salera nova a lo dona, e l’è  ndà  casa tuto contento. Co’l riva casa, el gà catà sol el fioleto de sei ani.
– Fiol, a mama zea mia casa?
– Nò, pai. Fà maisomeno na ora e mesa che a zen data via e la se gà portà drio el LIDIFICADOR...