Livro apresenta as recordações do ex-prefeito Raymundo Paviani

Por Danúbia Otobelli – Danubia@jornaloflorense.com.br | 10 de Novembro de 2017 às 23:05

Obra narra algumas de suas lembranças e memórias

No ano de 2003, quando ainda estava vivo, o ex-prefeito Raymundo Paviani, eleito administrador de Flores da Cunha em três ocasiões, lançou a obra De pedreiro a prefeito, onde narrou a trajetória política do seu primeiro mandato. Falecido em 2010, aos 90 anos, Paviani passou os últimos anos de sua vida escrevendo. Foram mais de 800 páginas escritas onde deixou memórias e lembranças sobre sua vida, trabalho e trajetória política. Agora, os filhos de Paviani reuniram parte desse material na obra Recordações com Afeto.

No dia 6, os filhos Carlos, Jayme e Zelinda e a nora Neires estiveram na prefeitura entregando a obra para as escolas municipais, Centro Administrativo e Câmara de Vereadores. Eles foram recebidos pelo prefeito, Lídio Scortegagna; pela secretária de Educação, Ana Paula Zamboni Weber; pelo presidente da Câmara, Moacir Ascari; e pelo vereador João Paulo Carpeggiani.

O livro de 94 páginas editado pela Educs e Editora Novo Ciclo reconta em quatro capítulos a infância no Travessão Mützel de Nova Pádua; a adolescência nas festas da colônia e o hobby de fotografar aos domingos; o casamento com Esmerilda Ferrarini em 1939, com quem teve 12 filhos; e o trabalho, ora como agricultor, ora como pedreiro. Paviani realizou um curso por correspondência para tornar-se Projetista Licenciado, mudou-se para Flores da Cunha e posteriormente candidatou-se a vereador e depois prefeito.

Na apresentação da obra, o filho Jayme Paviani recorda a honestidade, a honradez e as iniciativas do pai, como um homem que registrou anotações sinceras de fatos positivos. Segundo Jayme, o texto publicado é fiel aos manuscritos, tendo sofrido apenas correções ortográficas. “Esse livro tem páginas simples, elaboradas como diz o título, dado por mim, com afeto. O pai escrevia e, quando, na pequena sala, não se lembrava de algum nome ou uma data, chamava minha mãe para lembrá-lo. Nessa mesma sala, onde desenhou plantas-baixas de tantas casas, onde respondia questões por correspondência para se tornar Construtor Licenciado (...) foi anotando ou revendo os passos de uma longa caminhada. Não é um intelectual que escreve. É um homem que fez apenas alguns anos do ensino primário, que formou com dedicação uma pequena biblioteca, que procurou, na Ordem Terceira de São Francisco, um sentido, e que, junto a mãe, sempre esteve atento a todos os movimentos dos filhos”, escreveu o professor e filósofo Jayme.

Além da obra Recordações com Afeto, Raymundo Paviani deixou escritos sobre o segundo e terceiro mandatos à frente da prefeitura de Flores da Cunha e dos trabalhos para construção do Hospital Nossa Senhora de Fátima – o qual foi publicado na revista dos 50 anos da instituição, em 2006. A obra é comercializada a R$ 20 na sede do Jornal O Florense (Rua Garibaldi, 1.020, sala 4, no Centro de Flores).

O autor

Raymundo Paviani foi prefeito de Flores da Cunha três vezes (1952-1955, 1964-1969 e 1973-1977) e vereador também em três ocasiões. Foi um dos fundadores do Hospital Nossa Senhora de Fátima e idealizador da Festa da Vindima, criada em 1967 e que neste ano completou 50 anos.

Trecho da obra

Depois de nove meses, retorno para a casa paterna. Satisfeitíssimo em voltar para os familiares, especialmente à minha esposa e a um filho de poucos meses, porém indeciso sobre por qual trabalho optaria. Pensava em continuar com a família, nos trabalhos da roça, mas isso não me atraía mais. Voltar a trabalhar como pedreiro, fazendo biscates, iria tornar-me igual a meu pai, não havia futuro nisso (...).

Tweetar

1 comentários

Sonia

15 de Novembro de 2017 às 13:52

Pessoa honrada, trabalhadora, honesta, um exemplo de vida pública. O período em que tive a honra de trabalhar ao seu lado foi a melhor faculdade de vida que ja tive. Saudades Sr. Raimundo.

Deixe seu comentário