Documentário ‘Legado Italiano’ é gravado em Flores da Cunha

Por Larissa Verdi – Larissa@jornaloflorense.com.br | 06 de Fevereiro de 2018 às 08:55

Longa-metragem tem previsão de estreia até o final de 2018

Percebe-se na forma de falar, no sotaque e nas expressões do talian. Percebe-se na arquitetura das cidades, nas saborosas comidas que sustentam para o trabalho árduo e também no vinho. Este que é símbolo de orgulho por ser a tradução livre de luta e trabalho, onde os imigrantes idealizaram e plantaram e as suas gerações colhem os frutos até hoje.

Esse é o contexto do longa-metragem documental Legado Italiano, filmado na Serra Gaúcha. Nesta semana, dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro, Flores da Cunha recebeu a equipe de produção e a cidade serviu de cenário para as filmagens. A colheita da uva foi registrada na Vinícola Luiz Argenta, nas propriedades de Ricardo Pagno e Fernandes Muraro e na família Tonello. “É a realização de um sonho poder estar perto dessas parreiras de uva Merlot e captar todas as impressões que viemos estudando desde 2012, quando a ideia começou a tomar forma”, frisa a diretora Márcia Monteiro, agradecendo o apoio das prefeituras dos municípios onde estão sendo gravadas as cenas.

Pontos turísticos como o Mirante Gelain, o Casarão dos Veronese e o pórtico da cidade também integram o roteiro de filmagens, além de locais históricos como o túmulo do Ângelo Giusti na comunidade Nossa Senhora do Carmo e o antigo cemitério no Travessão Martins. Irão nortear o longa depoimentos, como o do pesquisador e escritor Floriano Molon, pois o documentário trata também dos 140 anos da imigração e colonização italiana na Serra.

As filmagens contemplam ainda as cidades de Bento Gonçalves, Garibaldi, Vila Flores, Carlos Barbosa, Monte Belo do Sul, Farroupilha e Caxias do Sul. No mês de abril, a equipe viaja para a Itália onde gravará nas regiões de Trento e do Vêneto. A equipe é conduzida pela jornalista e cineasta carioca Márcia Monteiro em parceria com Elton Menezes e coprodução da Globo Filmes. A previsão de estreia é até o final de 2018, inicialmente no Rio de Janeiro e Bento Gonçalves. Nas cidades onde foram filmadas cenas também ocorrerão exibições coletivas. Acompanhe o trabalho no Instagram @legadoitaliano.

Outro doc

Ainda em 2018, Flores da Cunha será cenário para outra produção cinematográfica. O curta-metragem O Menino da Terra do Sol, idealizado pela Alba Arte, de Bento Gonçalves, é uma produção baseada no último livro lançado em vida por Flávio Luís Ferrarini. Conforme um dos produtores, Michel Marchetti da Rosa, a pré-produção se inicia no mês de março e as filmagens ocorrerão em abril.

A irmã de Flávio e diretora do Instituto que leva o nome do escritor, Madeleine Ferrarini, se emociona ao falar sobre a iniciativa e espera que as experiências do Flávio, traduzidas em obras literárias, inspire o público. “É uma honra podermos acompanhar o processo de produção desse curta que será patrimônio cultural, não somente para nossa entidade ou para a família, mas pra toda a região, por meio das origens culturais que seus obras transcreviam”, enaltece. Madeleine agradece aos patrocinadores Móveis Florense e Dalemolle Estruturas Metálicas por “acreditarem que a cultura e a arte são bases para despertar criatividade e vontade entre as pessoas, além de contribuir para uma sociedade mais humana”.

 

Tweetar

Imagens:

0 comentários



Ainda não há comentários. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário